Posts Tagged ‘Greve Geral’

Adesões no distrito do Porto – Greve Geral – 22 de Março de 2012

Março 23rd, 2012

CDP/COC-N Vila Nova de Gaia 4430 – 69,2%
CDP/COC-N Vila Nova de Gaia 4400 – 35,7%
CDP/COC-N Vila do Conde – 39.1%
CDP/COC-N Valongo – 63.6%
CDP/COC-N Valadares – 44,4%
CDP/COC-N Santo Tirso – 52%
CDP/COC-N Paços de Ferreira – 42,8%
CDP/COC-N Marco de Canaveses – 88.2%
CDP/COC-N Gondomar – 32%
CDP/COC-N Ermesinde – 60%
CDP/COC-N 4100/4150 – 88,6%
CDP/COC-N noite – 32.3%
Cantina do Hospital Padre Américo, Penafiel (Such) – 2º turno – 100%
Cantina do Hospital Padre Américo (Such) – 1º turno – 60%
Cantina Escola Sãotegãos, Gondomar (Gertal, SA) – 100%
Cantina do Hospital da Prelada (Tau, SA) – 80%
Bar do IPO (Eurest, Lda) – 100%
Cantina da Escola EB 2,3 Manoel oliveira (Eurest, Lda), Porto – 100%
Junta de Freguesia de S.Pedro da Cova – encerrada
Junta de Freguesia de Valbom, Gondomar – encerrada
Junta de Freguesia de Crestuma, V.N.Gaia – 100%
Junta de Freguesia de Arcozelo, V.N.Gaia – 85%
Câmara Municipal de Vila Nova de gaia – 75%
Junta de Freguesia de Miragaia – 100%
Jardim de Infância da Junta de Freguesia de Campanhã – 100%
Jardim de Infância da Junta de Freguesia de Aldoar – 100%
Câmara Municipal do Porto – Higiene Urbana diurna – 100%
Câmara Municipal do Porto – geral – 50%
Junta de Freguesia de Perafita, Matosinhos – 100%
Junta de Freguesia de Leça do Balio, Matosinhos – 100%
Junta de Freguesia de Pedrouços, Maia – 100%
Junta de Freguesia de Rio Tinto – Jardins – 100%
RSU da Câmara Municipal de Gondomar – recolha nocturna – 50%
Sakthi – turno da tarde – 85%
Construções Joaquim Barros – Construção Civil e Sector de Madeiras 70%
Fernando Carvalho & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Construções Rodrigo Unipessoal – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
Construções S.Jorge – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
João Moreira, Lda – Construção Civil e Sector de Madeiras 55%
Móveis Silveira – Construção Civil e Sector de Madeiras 55%
João & Alberto Granitos – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
Soc. Const. Pinto Moreira – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Móveis Rosa & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 70%
Const. J. Leitão – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
Soc. Pedreiras Carvalho & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Const. Maia da Rocha – Construção Civil e Sector de Madeiras 45%
Const. Pereira Ribeiro – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Móveis Cristiano & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
João Pinto Fonseca – Construção Civil e Sector de Madeiras 50%
Const. Luís Carvalho – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Soc.Const.Mesquita & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 50%
Pedreiras e Granitos do Tâmega – Construção Civil e Sector de Madeiras 75%
Const. Eliana – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Blocoviga – Construção Civil e Sector de Madeiras 80%
Serração Araújo & Irmãos – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Const. Alberto & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
Soc. Const. Mesquita & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 50%
Soc. Const. Benjamin – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Antero & Carvalho – Construção Civil e Sector de Madeiras 60%
Soc. Const. Beira Alta – Construção Civil e Sector de Madeiras 65%
Soc. Const. Pinto & Coelho – Construção Civil e Sector de Madeiras 50%
Móveis Rodrigo & Filhos – Construção Civil e Sector de Madeiras 55%
Pedreiras e Granitos de Lamelas – Construção Civil e Sector de Madeiras 50%
Soc.Const.José Maria Carvalho – Construção Civil e Sector de Madeiras 70%
Móveis Fernandes & Rodrigues – Construção Civil 60%
Const.Dias, Carvalho & associados – Construção Civil 70%
Soc. Const.Castro & Mendes – Construção Civil 55%
Const. Pereira Gomes – Construção Civil 50%
Soc. Const. do Ave – Construção Civil 65%
Ferreira Granitos Lda – Construção Civil 55%
António Sousa & Filhos – Construção Civil 65%
Const. Silva Coelho e Filhos, Lda – Construção Civil 55%
Const. Irmãos Unidos – Construção Civil 50%
Luís Acácio Mobiliário – Construção Civil 70%
Francisco Gomes & Pinto – Construção Civil 50%
Soc. Const. Jaime Ferreira – Construção Civil 60%
Soc. Const. Francisco Jesus – Construção Civil 55%
Móveis Fernando Oliveira – Construção Civil 50%
Mármores e Granitos do Alto Douro – Construção Civil 60%
Rochas Ornamentais Felismino Silva – Construção Civil 65%
Soc.Const. Sousa & Romeu – Construção Civil 65%
Ferreira Sousa & Filhos – Construção Civil 60%
Soc. Const. Patrício & Lima – Construção Civil 65%
Aurélio & Sandro Soc. Const. – Construção Civil 60%
Móveis Paulo & Pedro – Construção Civil 75%
Juliano & Rodrigues Soc. Const. – Construção Civil 65%
Soc. Const. António Pacheco – Construção Civil 65%
Mobiliário João David Teixeira – Construção Civil 65%
Const. David Gomes – Construção Civil 65%
Justino Carvalho & Irmão – Construção Civil 65%
(12h36) Socometal – 95%
(12h36) Agência Piaget para o Desenvolvimento / Técnicos Superiores – 35%
(12h35) CM V.N.Gaia – serviços – 70%
(12h35) CM V.N.Gaia – oficinas gerais – 75%
(12h35) CM Santo Tirso – 65%
(12h30) Pescadores (embarcação do cerco) – todos os portos – nenhum barco saiu para o mar
(12h30) Tajor – confecção – Lousada – 50%
(12h30) Escola Secundária Rocha Peixoto, Póvoa de Varzim – 90%
(12h27) Escola EB 2/3 do Olival, V.N.Gaia – encerrada
(12h27) Hosp. S.João – Consulta de Psiquiatria e Hospital de Dia – encerrados (com serviços mínimos)

(12h27) Hosp. S.João – Bloco Operatório Central e Bloco Cardioporacia – encerrados
(12h27) CTT – centro de tratamento, Maia – turno da noite – 50%
(12h20) Caetano Bus – turno da manhã – 70%
(12h20) STCP – 80%
(12h20) Groz Beckert – turno da manhã – 50%
(12h00) Cantina do Hospital Pedro Hispano (Such) – 100%
(11h50) Faculdade de Ciências da UP – a maioria das aulas não se realizaram
(11h50) Faculdade de Letras da UP – mais de 70% das aulas não se realizaram
(11h36) CGD – Madalena – encerrado
(11h36) CGD – Antas – encerrado
(11h36) CGD – Fernão de Magalhães – encerrado
(11h22) Creche e Jardim de Infância da Biquinha – Matosinhos – encerrado
(11h10) Worten (Via Catarina) – 60%
(10h30) Pingo Doce (Sá da Bandeira) – 60%
(10h00) Calzedonia no Via Catarina – encerradas
(09h30) Desfile de piquete – Centro Comercial Via Catarina – Porto  ver fotografia
(09h30) Escola Secundária Clara de Resende – encerrada
(09h30) Vidromarques – 33%
(08h50) Sakthi – Maia – turno da manhã – 82%
(08h50) Continente logística – Matosinhos – turno da noite – 45%
(08h15) Cantina Hospital S.João – Such – serviços mínimos (2 trabalhadores por turno)  ver fotografia
(08h15) Cantina RTP – ITAU – 100%
(08h00) CP Porto – 99,9%
(07h53) Metro do Porto – 90%
(07h00) STCP – até às 7h 90%; na globalidade 80%
(06h40) Central Termo-eléctrica da Petrogal – Matosinhos – 100%
(05h10) Unidade Local de Saúde EPE – Matosinhos – enfermeiros – 65%

(02h26) Sakthi – Maia – 3º turno – 70%
(01h00) Hospital de Santo António – enfermeiros – turno da noite – 30%
(01h00) Centro Hospitalar de V.N.Gaia – enfermeiros – turno da noite 30%
(01h00) IPO/Porto – enfermeiros – turno da noite – 50%
(01h00) Hospital de S.João – enfermeiros – turno da noite – 63%
(01h00) Hospital Pedro Hispano – enfermeiros – turno da noite – 65%
(24h00) CP – S.Bento – 100%  ver declaração de Álvaro Pinto, dirigente sindical
(23h44) RSU – CM Porto – 30% de adesão
(23h41) RSU – CM Gondomar – 50% de adesão
(23h00) Sakthi – Maia – 1º turno – 70% de adesão  ver vídeo de piquete e declaração de Alberto Neto, dirigente sindical
(23h00) Groz Beckert – V.N.Gaia – 1º turno –  63% de adesão  ver foto de piquete    ver declaração de José Gomes, dirigente sindical
(22h00) Recolha de Lixo – CM Matosinhos – 80% (não houve recolha)  ver foto de piquete

Também no distrito do Porto UMA GRANDE GREVE GERAL que abre caminho à luta por emprego, direitos e justiça social

Março 22nd, 2012

A DORP do PCP saúda os trabalhadores portugueses pela construção e concretização da Greve Geral de ontem que, convocada pela CGTP-IN, assumiu uma elevada expressão no distrito do Porto e uniu diversos sectores e camadas no protesto, na luta e na exigência de uma ruptura com o rumo de “empobrecimento e exploração” assumido pelos executantes da política de direita e consagrado no pacto de agressão assinado pelo PS, o PSD e o CDS com a troika estrangeira.
A DORP do PCP saúda também a União de Sindicatos do Porto pelo papel que teve na divulgação e realização da greve, pela organização da grande e combativa concentração e desfile para a Praça dos Leões, que forçou o Primeiro-ministro a uma entrada envergonhada na Reitoria da Universidade do Porto, fugindo ao protesto e à indignação dos milhares de trabalhadores que se concentravam naquele local.
A DORP do PCP saúda e destaca o papel dos militantes comunistas e das organizações do Partido, pelo seu envolvimento e papel activo no êxito desta jornada de luta.
Foi uma Greve Geral de grandes dimensões, com grande impacto e adesões de muito significativas.
Esta jornada de luta, ao nível da indústria, teve expressões significativas em vários sectores e empresas, como são exemplos a Sakti, a Groz Bekert, a CaetanoBus, a Socometal, a Camo.
No sector dos transportes registou adesões em várias operadoras rodoviários privadas e uma grande adesão na STCP, com mais de 90% de adesão na Madrugada e uma adesão global de 80%. No Metro do Porto, com adesão superior a 90%, verificou-se o funcionamento muito condicionado e apenas em dois troços e a ausência de ligação aos concelhos de Gondomar, da Maia, da Póvoa de Varzim, de Vila do Conde, ao centro de Matosinhos e ao Aeroporto. Na CP atingiu-se uma greve total no período da noite e uma adesão global superior a 95%.
Os pescadores do cerco tiveram uma adesão total à greve, nos vários portos do distrito do Porto.
Na administração local, com dezenas de serviços fechados ou fortemente afectados em vários concelhos (Porto, Matosinhos, Gondomar, Gaia, Santo Tirso…) e muitas Juntas de Freguesia encerradas.
Também na administração central as implicações de uma importante adesão de trabalhadores fizeram-se sentir com o cancelamento de centenas de Consultas e no encerramento dos Blocos Operatórios dos principais Hospitais, no encerramento de escolas, creches e jardins de infância, bem como na afectação do funcionamento de repartições de Finanças e departamentos da Segurança Social e do Ministério da Justiça.
Ao nível da hotelaria, restauração, comércio e serviços, foram dezenas os locais de trabalho do distrito com adesões totais ou muito significativas, destacando-se as cantinas dos Hospitais de São João e Pedro Hispano, a cantina da RTP-Porto, as lojas Worten e Calzedonia do ViaCatarina, a logística do Continente e a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim.
O impacto da adesão à greve no sector da construção civil e do mobiliário foi notado em muitas empresas de pequena e grande dimensão, registando-se adesões superiores a 60% em mais de 50 empresas deste sector, no distrito do Porto.
O sector dos correios teve adesões significativas em vários pontos do distrito, nomeadamente nos concelhos do Porto, Gaia, Marco de Canavezes e Valongo.
Vários Balcões da Caixa Geral de Depósitos estiveram encerrados, registando-se uma adesão global de 50% dos trabalhadores no grande Porto.

A DORP do PCP destaca o facto desta greve se ter realizado num momento em que o desemprego e a precariedade atingem os seus maiores índices de sempre, de ter sido marcada por uma grande campanha de silenciamento e desvalorização nos órgãos de comunicação social e por deploráveis campanhas de intimidação, condicionamento, ameaça e repressão – tanto na fase preparatória como no próprio dia da Greve Geral.
Por tudo isto, a Greve Geral foi uma grande jornada de luta, onde trabalhadores efectivos e precários, do sector público e privado, lutaram contra o pacote legislativo do governo e pela rejeição do pacto de agressão. Uma jornada onde os jovens trabalhadores assumiram um papel destacado no esclarecimento, na mobilização e na sua construção, assumindo posturas de grande coragem e combatividade nos locais de trabalho e nos piquetes de greve, prestigiando-se e prestigiando o movimento sindical unitário.
No dia 22 de Março, os trabalhadores do distrito do Porto e do país recusaram o empobrecimento, a exploração e o desemprego. Disseram que não aceitavam este rumo de afundamento do país e exigiram a rejeição do pacto de agressão. Afirmaram a disponibilidade para prosseguir a luta contra a tentativa do governo de roubar salários e direitos, por os trabalhadores a trabalhar mais por menos dinheiro, facilitar e embaratecer os despedimentos.
A DORP do PCP reafirma a sua solidariedade para com os trabalhadores e a sua determinação em tudo fazer para que as intenções do governo não se concretizem, apelando à unidade e à luta dos trabalhadores, dos democratas e patriotas, pela democracia e o socialismo, por emprego, direitos e justiça social.

Porto, 23 de Março de 2012
A DORP do PCP

Adesões no distrito do Porto – Greve Geral – 24 Novembro 2011

Novembro 26th, 2011
 
Enfermeiros Hosp. Padre Américo, Penafiel – turno da noite – 71%
Enfermeiros IPO – turno da noite – 73%
Enfermeiros Centro Hospitalar de V.N.Gaia – turno da noite – 45%
Caetano Bus/metalurgia – V.N.Gaia – 60%
GE Power Controls – 1º turno – V.N.Gaia – 50%
GE Power Controls – turno normal – V.N.Gaia – 60,3%
Móveis Fernandes & Rodrigues – 60%
Const. Dias, Carvalho & associados – 70%
Soc. Const. Castro & Mendes – 65%
Const. Pereira Gomes – 60%
Soc. Const. do Ave – 65%
Ferreira Granitos Lda – 70%
António Sousa & Filhos – 63%
Const. Silva Coelho e Filhos, lda – 58%
Const. Irmãos Unidos – 70%
Soc. Const. Patrício & Lima – 60%
Soc. Const. Jaime Ferreira – 65%
Const. David Gomes – 60%
Móveis Paulo & Pedro – 63%
Móveis Fernando Oliveira – 72%
Mobiliário João David Teixeira – 60%
Rochas Ornamentais Felismino Silva – 65%
Soc. Const. Sousa & Romeu – 75%
Luís Acácio Mobiliário – 65%
Soc. Const. Francisco Jesus – 70%
Aurélio & Sandro Soc. Const. – 75%
Mármores e Granitos do Alto Douro – 65%
Juliano & Rodrigues Soc. Const. – 75%
Soc. Const. António Pacheco – 70%
Francisco Gomes & Pinto – 72%
Construções Joaquim Barros – 70%
Fernando Carvalho & Filhos – 65%
Construções Rodrigo Unipessoal – 55%
Construções S.Jorge – 80%
João Pinto Moreira – 60%
Móveis Pereira – 60%
João & Alberto Granitos – 57%
Soc.Const.Pinto Moreira – 75%
Móveis Rosa & FiLhos – 65%
Const. J.Leitão – 70%
Soc. Pedreiras Carvalho & Filhos – 60%
Const. Maia da Rocha – 55%
Const. Pereira Ribeiro – 75%
Móveis Cristiano & Filhos – 65%
João Pinto Fonseca – 60%
Const. Luís Carvalho – 70%
Soc. Const. Benjamim – 62%
Antero & Carvalho – 70%
Soc. Const. Beira Alta – 75%
Soc. Const. Pinto & Coelho – 65%
Móveis Rodrigo & Filhos – 65%
Pedreiras e Granitos de Lamelas – 60%
Soc. Const. José Maria Carvalho – 70%
Soc. Const. Mesquita & Filhos – 75%
Pedreiras e Granitos do Tâmega – 70%
SOCOMETAL, Vila Nova de Gaia – turno normal – 90,4%
CAMO, V.N.Gaia – 71.8%
FERFOR, Felgueiras – turno normal – 76%
INAPAL, Matosinhos – turno da manhã – 50,8%
FICOCABLES, Maia – 1º turno – 35%
CDPs/COC-N Porto – 89%
CDPs/COC-N Ermesinde – 64%
CDPs/COC-N Felgueiras – 42,86%
CDPs/COC-N Gondomar – 84%
CDPs/COC-N Marco de Canaveses – 89%
CDPs/COC-N Matosinhos – 60%
CDPs/COC-N Senhora da Hora – 86%
CDPs/COC-N Paços de Ferreira – 57%
CDPs/COC-N Penafiel – 82%
CDPs/COC-N Póvoa de Varzim – 50%
CDPs/COC-N Rio Tinto – 53%
CDPs/COC-N Santo Tirso – 57%
CDPs/COC-N Valadares – 60%
CDPs/COC-N Valongo – 77%
CDPs/COC-N Vila do COnde – 70%
CDPs/COC-N Vila Nova de Gaia – 70%
Finanças Amarante – 100%
Caixa Geral de Depósitos/STEC, Porto – 80%
Segurança Social Miguel Bombarda, Porto – 45%
Cantina CCD Miguel Bombarda, Porto – 100%
Serviço Informativo Miguel Bombarda, Porto – 80%
 
Such – Cantina Hosp. Pedro Hispano, Matosinhos – 100%
uniself, SA – Cantina da Esc. Montebello, Porto – 100%
uniself, SA – Cantina da Esc. António Aroso, Porto – 100%
Eurest, lda – Cantina da Esc. EB 2,3 de Santo Tirso – 100%
uniself, SA – Cantina da Escola do Lagarteiro, Porto – 100%
uniself, SA – Cantina da Esc. Augusto Leça, Porto – 25%
uniself, SA – Cantina da Esc. da Sé, Porto – 100%
uniself, SA – Cantina da Escola S.Tomé, Porto – 66%
Gertal, SA – Cantina da Esc. Cima da Serra, Gondomar – 100%
Gertal, SA – Cantina da Esc. do Seixo, Gondomar – 100%
Gertal, SA – Cantina da Esc. de São Caetano 1, Gondomar – 100%
Gertal, SA – Cantina da Esc. Santegãos, Gondomar – 100%
Gertal, SA – Cantina da Esc. Bela Vista, Gondomar – 100%
Gertal, SA – Cantina da Esc. Boucinha, Gondomar – 100%
Solnave, SA – Cantina do Centro de Formação 11, Porto – 75%
Eurest, Lda – Cantina da Esc. Manoel de oliveira, Porto – 100%
Eurest, Lda – Cantina da Esc. Garcia de Horta, Porto – 100%
Eurest, Lda – Cantina da Esc. da Barranha, Porto – 100%
Itau, Lda – Cantina RTP, Gaia – 50%
Itau, Lda – Cantina do Hosp. Prelada, Porto – 100%
Eurest, Lda – Bar do IPO, Porto – 100%
Trabalhadores da Construções S. Jorge – 80%
Trabalhadores da construções Pereira Ribeiro – 70%
Trabalhadores da Construções Beira Alta – 70%
Trabalhadores da Construções Mesquita & Filhos – 70%

Hospital Prelada – 4 Pisos serviços mínimos 

Faculdade Medicina – Secretaria Encerrada 
IPO Porto – Bloco Operatório – 50%
Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Consulta Externa – 100%
Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Oftalmologia – 50%
Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Gastro – 100%
Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Cardiologia – 100%
Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia – Internamento – 100%
Vila do Conde – Tribunal – 50%
Vila do Conde – Finanças – 50%
Escola EB 2, 3 Olival – 90% (2 professores a dar aulas, a meia dúzia de alunos)
Hospital S. João – Farmácia 99%      
Hospital S. João – Cirurgia ambulatório 100%
Hospital S. João – Oftalmologia 100%
Hospital S. João – Otorrino 100%
Hospital S. João – Bloco Central 100%
Hospital S. João – Centro Torácico 100% (está 1 trabalhador contrato 3 meses)
Hospital S. João – Central Diagnóstico 100%
Hospital S. João – Refeições 100%   
Escola EB 2,3 Santa Marinha Zêzere – 50 % (secretaria encerrada, assist operacionais 50%)
Escola Secundária Boa Nova – 100%
Agrupamento Escolar Aurélia Sousa – 100%
Escola Secundária Rio Tinto – 80%
Escola Secundária Fontes Pereira de Melo – 100 % encerrada
Escola Secundária Clara de Resende – 100% encerrada 
Agrupamento Escolar Ramalho Ortigão – encerrada
Escola Secundária Garcia da Orta – encerrada 
Escola Secundária Francisco Torrinha – encerrada
Escola Secundária Rocha Peixoto – encerrada
Escola EB 2,3  J. Araújo – encerrada
Escola EB 2,3 Gervide – encerrada
Finanças Amarante – encerrada 
Loja Cidadão Seg.Social, SEF, Cca – encerrada
Escola EB 2,3 Toutosa – encerrada
Agrupamento Escola Saul Dias – encerrada             
Agrupamento Escola Cerco – encerrada
Escola EB 2,3 S. Pedro da Cova – encerrada
Escola Secundária Senhora da Hora – encerrada
Escola EB 2,3 Nicolau Nasoni – encerrada
ISS A. Patrício – encerrado serviços tesouraria 

Cerâmica de Valadares – 30%

GE Power Control – 60%

Avenadecor – 100%
Associação Nacional de Deficientes e Sinistrados do Trabalho – Porto – 100%
Junta de Freguesia de Leço do Balio – 100%

Junta de Freguesia de Vila do Andorinho – 100%
Junta de Freguesia de Leça da Palmeira – 100%
Junta de Freguesia de Guifões – secretaria – 100%
Junta de Freguesia de Leça do balio – secretaria – 100%
Câmara Municipal da Maia – pavilhão desportivo – 100%
Câmara Municipal da Maia – Paços do Concelho – 90%
Câmara Municipal da Maia – Oficinas – 90%
Câmara Municipal da Maia – Jardins – 100%
Maia Ambiente – nocturno – 30%
Câmara Municipal de Santo Tirso – Estaleiros – 90%
Câmara Municipal de Santo Tirso – Paços do Concelho – 70%
Câmara Municipal de Santo Tirso – escolas – encerradas
Câmara Municipal de Baião – Oficinas – 50%
Junta de Freguesia de Perafita – 95%
Câmara Municipal de Amarante – Secção de Pessoal – 100%
Câmara Municipal de Amarante – Urbanismo – 100%
Câmara Municipal de Amarante – Tesouraria – 100%
Câmara Municipal de Amarante – Atendimento – 50%
Junta de Freguesia de Santa Cruz do Bispo – 100%

Câmara Municipal do Porto – DLU – 80%
Câmara Municipal do Porto – Paços do Concelho – 30%
Câmara Municipal do Porto – CTT – 50%
Câmara Municipal do Porto – Gabinete do Munícipe – 100%
Águas do Porto, EM – geral – 45%
Águas do Porto, EM – cantina – 100%
Águas do Porto, EM – tesouraria – 100%
Câmara Municipal de Valongo – serviços administrativos – 50%
Câmara Municipal de Valongo – Oficinas – 80%
Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia – Oficinas – 90%
Águas de Gaia, EM – 70%
Bombeiros Sapadores de Gaia – 90%
Junta de Freguesia de Arcozelo – 87%
Junta de Freguesia de Oliveira do Douro – 86%
Junta de Freguesia de Aldoar – 100%
Junta de Freguesia de Paranhos – 100%
Junta de Freguesia de Campanhã – 82%
Junta de Freguesia de Foz do Douro – 100%
Junta de Freguesia de Nevogilde – 100%
Junta de Freguesia de Miragaia – 100%
Junta de Freguesia de Santo Ildefonso – 25%
Junta de Freguesia da Vitória – 100%
Câmara Municipal de Vila do Conde – encerrada
CTT Distrito do Porto – 56,35%
Câmara Municipal de Amarante – Águas – 100%
Câmara Municipal de Amarante – Secretaria – 40%
Câmara Municipal de Gondomar – Parque CAL – 30%
Câmara Municipal de Gondomar – Parque operacional – 65%
Câmara Municipal de Gondomar – Urbanística – 5%
Câmara Municipal de Gondomar – Higiene e limpeza – 30%
Águas de Gondomar – 15%
Câmara Municipal de Lousada – 15%
SMAS da Maia – 20%
Câmara Municipal da Maia – geral – 90%
Câmara Municipal da Maia – Jardins – 100%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – contabilidade – 100%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – Armazém – 50%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – Pintura – 100%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – Obras – 50%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – Serralharia – 100%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – recursos humanos – 25%
Câmara Municipal de Marco de Canaveses – Mecânica – 100%
Câmara Municipal de Matosinhos – varredura nocturna – 100%
Câmara Municipal de Matosinhos – recolha nocturna – 100%
Câmara Municipal de Matosinhos – Horto municipal – 88%
Câmara Municipal de Matosinhos – Serviços de Higiene e Limpeza – 90%
Câmara Municipal de Matosinhos – serviços técnicos – fechado
Câmara Municipal de Matosinhos – Oficinas – 70%
Câmara Municipal de Matosinhos – escolas e infantários – 100%
(12h30) Metro do Porto – condutores - 98,5%
(12h30) Camo – turno da manhã - 65%
(12h30) Socometal – turno da manhã - 90%
(12h30) Groz Beckert – turno da manhã - 50%
(12h30) Caetano Bus – turno da manhã - 60%
(12h30) Sakthi – turno da manhã - 80%
(12h30) STCP – 90% de adesão após as 10h
(12h30) Metro do Porto - encerrada a ligação à Maia
(12h30) Metro do Porto - encerrada a ligação a Gondomar
(12h30) Metro do Porto - encerrada a ligação ao Aeroporto
(12h30) Metro do Porto - encerrada a ligação a Matosinhos
(12h00) Universidade do Porto – docentes - adesão muito significativa com mais de 80% de aulas não realizadas em Letras, em Ciências e em Arquitectura
(11h50) Metro do Porto – Póvoa de Varzim e VIla do Conde - encerrado
(11h50) Centro Hospitalar de Póva de Varzim / Vila do Conde – sem consultas e sem cirurgias
(11h50) Tribunal de Vila do Conde – encerrado
(11h50) Câmara Municipal de Vila do Conde – Biblioteca- encerrada
(11h50) Câmara Municipal de Vila do Conde – Serviços Administrativos – encerrados
(11h50) Escola José Dias, Vila do Conde – encerrada
(11h50)
 Escola Afonso Sanches, Vila do Conde – 70%
(11h50) Escola Frei João, Vila do Conde – encerrada
(11h50) Escola Secundária José Régio, Vila do Conde - encerrada
(11h50) Escola Secundária Tomás Pelayo, Santo Tirso - encerrada
(11h50) Escola José Dias, Vila do Conde – encerrada
(11h30) Junta de Freguesia de S.Pedro da Cova, Gondomar- encerrada
(11h30) Centro Social de Soutelo, Rio Tinto – encerrado
(11h30) Autoestradas Ascendi – 80%
(11h30) Modelo, Vila do Conde - 70%
(11h30) Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Varzim – 70%
(09h50) Acção de sensibilização dos trabalhadores do Via Catarina – ver vídeo
(09h46) Gencoal, Vila do Conde - 95%
(09h45) piquete frente ao Via Catarina, Porto – ver vídeo
(09h45) piquete frente ao Via Catarina, Porto
(09h30) Escola Secundária Augusto Gil, Porto - encerrada
(09h30) Escola Secundária Almeida Garrett, V.N.Gaia – encerrada
(09h00) CP Porto (turno da manhã) – 100%
piquete na Estação da CP em Caíde Rei, Lousada
(08h00) CP – 100%
(08h00) Polícia agride piquete de greve na estação da CP em Penafiel – ver vídeo
(08h00) STCP – 100%
(07h58) Petrogal – Refinaria de Matosinhos – 50%
(07h15) Estação de S.Bento
(07h00) CP – 100%
(07h00) STCP – 100%
Jorge Machado, deputado do PCP, com o piquete de greve na Estação de S.Bento - ver vídeo
(02h30) estação de S.Bento
(02h15) Portagens de Lousada – 100%
(02h15) Portagens de Caíde de Rei - 100%
(02h15) Portagens do IP9 – 100%
(02h15) Portagens de Ermesinde Plena Via - 100%
(02h15) Portagens de Ermesinde Nó - 100%
(02h15) Portagens de Campo – 100%
(02h15) Portagens de Valongo – 100%
ver piquete na Câmara Municipal de Matosinhos
(01h59) Porto de Leixões, Matosinhos – 100%
(01h40) CP – comboios da noite - 100%
ver piquete na Estação de S.Bento
(01h38) STCP – autocarros nocturnos – 77%
ver piquete na Sakthi, Maia
(00h30) Aeroporto Francisco Sá Carneiro - encerrado
(23h30) Enfermeiros do Hospital de S.João (turno da noite) - 70%
(23h30) Enfermeiros do Hospital de Santo António (turno da noite) - 60%
(23h30) Enfermeiros da ULS de Matosinhos (turno da noite) - 76%
(23h20) Centro Operacional dos Correios do Norte (turno da noite) - 94%
(23h00) Sakthi, Maia – 90%
(23h00) Groz Beckert, V.N.Gaia- 70%
(22h30) Serviços de Recolha de Lixo da Câmara Municipal de Matosinhos - 100%
(22h30) Serviços de Recolha de Lixo da Câmara Municipal de Gondomar – 65%

Viva a Greve Geral!

Novembro 26th, 2011

 

 

OS trabalhadores em Penafiel

DORP do PCP saúda os trabalhadorese apela à intensificação da luta

Novembro 26th, 2011

1. A DORP do PCP saúda os mais de 3 milhões de trabalhadores que em todo o país aderiram à Greve Geral de 24 de Novembro de 2011, exigindo outra política, por um Portugal com futuro, só possível com a rejeição do Pacto de Agressão. A DORP do PCP destaca a grande adesão no distrito do Porto, superior a anteriores greves gerais.

2. Esta Greve Geral teve no distrito elevadas adesões de trabalhadores efectivos e precários; do sector privado (com centenas de empresas e locais de trabalho com adesões acima dos 70% no sector da Metalurgia, da Construção Civil, da Hotelaria, do Comércio e dos Serviços) e do sector publico (com cerca de uma centena de serviços das autarquias encerrados ou fortemente condicionados; várias repartições de Finanças, da Segurança Social, Escolas, Centros de Saúde e Hospitais encerrados).

3. A unidade e luta dos trabalhadores dos transportes do distrito do Porto foi determinante para o êxito dos resultados da Greve Geral nas empresas deste sector. Só a forte consciência dos trabalhadores dos transportes e a determinação de resistir e lutar contra estas políticas permitiu resultados acima dos 90% em empresas como os STCP, o Metro do Porto, a REFER, a EMEF e a CP, bem como para superar todas as manobras de chantagem e intimidação de que foram alvo particular com a imposição de “serviços mínimos” violadores do direito à Greve, ameaças e “apelos” públicos das chefias.

4. A combatividade, a consciência de classe, o empenho e dedicação de dirigentes, delegados e activistas sindicais, no trabalho preparatório e nos piquetes de greve – onde assumiram papel de destaque muitas dezenas jovens – foram determinante para o esclarecimento dos trabalhadores e a denuncia das várias chantagens de que os trabalhadores têm sido alvo.

5. A rejeição destas políticas pela generalidade da população e a disponibilidade de prosseguir a luta pelo emprego, pelos salários, pelo desenvolvimento do país e contra as injustiças é cada vez mais mobilizadora de amplas camadas e sectores da sociedade que não se revêem nestas políticas, como ficou expresso na participação de jovens, trabalhadores e reformados na grande concentração de ontem, promovida pela União de Sindicatos do Porto da CGTP-IN, na Praça da Liberdade, no Porto.

6. A DORP do PCP exorta os trabalhadores, a juventude e a população em geral a rejeitarem o caminho de afundamento do país que o governo PSD/CDS, com apoio do PS e do Presidente da República vêm impondo, e que desenvolvam, multipliquem e intensifiquem a luta contra todas e cada uma das medidas do Pacto de Agressão. Neste sentido, esta Greve Geral foi um importante contributo, não apenas para a resposta presente às políticas de direita, mas também para forjar as condições para o desenvolvimento da resposta reivindicativa no caso de o Governo, as Troikas Nacional e internacional, o Presidente da República e o patronato insistirem no agravamento das injustiças.

7. O País não está condenado, existem alternativas. A alternativa que o PCP propõe ao povo é a concretização de uma política patriótica e de esquerda, que imponha uma efectiva renegociação da dívida (nos seus prazos, juros e montantes), que aumente os salários e as pensões, combata a precariedade e afirme os direitos dos trabalhadores. Uma política que defenda a produção nacional e apoie as micro, pequenas e médias empresas. Uma política que ponha fim às privatizações e recupere para o Estado os sectores básicos e estratégicos da economia e efective uma real taxação do capital financeiro.

Porto, 25 de Novembro de 2011
A DORP do PCP